jogando conversa fora sobre A vida, o Universo e tudo maisLivrosNerdices

O Hobbit

31 de agosto, 2012

Sobre o sumiço tá, ninguém perguntou mas tô falando muito trabalho a fazer o que é bom pro meu pobre bolso. O que tenho a compartilhar hoje é uma das coisas que mais me influencia na vida: Tolkien. Ontem terminei de reler O Hobbit e simplesmente me lembrei do porque este é meu livro preferido. Ok, vamos do começo… Havia Eru o único… tá nem tanto no começo assim. Eu tenho uma política pra minha vida sobre reler: só releio livros a cada dez anos. Isso porque tenho uma dificuldade absurda de ler novamente uma informação que já foi absorvida na minha mente. Quando faço essa segunda leitura a emoção e o encantamento já não são os mesmos da primeira leitura, acabo desanimando e deixando de lado. Quando o intervalo de tempo é maior muitos dos detalhes se perdem na memória, isso dá uma outra vida pra nova leitura e além de tudo, você cresceu, amadureceu e a leitura vai fazer um novo sentido pra você. Bom essa é minha política, pode ser completamente idiota, mas funciona bem pra mim.  

Smaug, o Dourado

  Há dez anos, tá bom, onze, eu tinha exatamente onze anos de idade e fui apresentada a aquilo que seria minha maior influência pelo resto da vida. Papo de fanático por Tolkien? Sim! E com toda a razão, O Hobbit é a essência primordial de Tolkien. Ali está tudo o que ele é na verdade. Tudo bem, a trilogia de O Senhor dos Aneis, Silmarillion, Contos Inacabados e todos os livros, contos histórias que tem a ver com esse universo, são verdadeiras pérolas da literatura, mas não trazem consigo aquilo que ele era de fato. Sim, já vejo a multidão de fãs enfurecidos com tochas e machados querendo me matar. Não estou desmerecendo toda a obra de Tolkien, até porque sou fã incondicional do seu trabalho, o que estou dizendo é que a essência de todo o universo que ele criou está canalizado neste livro, porque todas as descrições de eras, famílias, reinos, gerações e descendências não traduzem a emoção desse trabalho genial. A verdade é que vejo nesse livro o pai dedicado, que escreveu um livro pros seus filhos, o cara que sonhava com dragões, elfos e guerreiros, que usa uma narrativa atemporal, capaz de conversar com qualquer pessoa que sonhe com o mesmo que ele, mesmo que esteja lendo o que ele escreveu anos à frente. Em O Hobbit, está toda a magia que Tolkien tem, é esse livro que conquista os corações de milhares de pessoas que precisam saber que mais alguém vai além dos limites das severas certezas do mundo real e se refugiam nesse universo em viagens inesperadas, com criaturas singulares e personagens inesquecíveis, e que faz delas novas pessoas, como o pequeno hobbit sobre o qual o livro conta. O Hobbit se trata de transformação, amizade, superação dos limites e conquista. Acima de tudo trata a respeito da forma como se encarar a vida. Essa é a leitura que eu tenho hoje, dez anos no passado esse foi um livro que me levou a ver que eu não precisava ser como as pessoas esperavam que eu fosse, que eu deveria seguir meu caminho, construir minha própria história sem ligar pro que as pessoas diziam. Engraçado ver como as duas visões estão certas, mas evoluíram com o passar dos anos, dos fatos e experiências. Ao final, confirmei a mim mesma que definitivamente esse é meu livro preferido tá bom Nelinha, você já disse isso e mais do que tudo, estou curiosa pra saber qual será a visão que terei dele quando eu tiver 32 anos, certamente algo completamente diferente estará escondido nas páginas de O Hobbit =)                  

Comenta aí:

    Comentários:

  • Fred Bueno à toa em 31/08/2012 - 11:04

    Curti a Ilustra do Smaug, o Dourado :)

  • Marãns à toa em 31/08/2012 - 11:04

    Bom de mais sô 8D

  • Calebe à toa em 04/09/2012 - 11:04

    Concordo com praticamente todos os pontos levantados por você nesse texto!! Toda a essência do trabalho dele está ali e em sua forma mais pura! Todos os elementos estão lá: O ponto de virada que culminará na jornada que transformará o herói, os conflitos que farão os personagens escolherem entre o certo e o errado, a superação dos próprios limites, a honra, nobreza e amizade acima de todas as coisas… E tudo isso está presente ali de modo tão puro e sincero. Não é a toa que seja tão marcante…

    Eu li O Hobbit duas vezes, e as duas foram no mesmo ano. Foi quando fui arrebatado pelo trabalho do Tolkien: comecei com o Hobbit, depois a trilogia O Senhor dos Anéis, em seguida O Silmarillion e quando terminei já peguei novamente O Hobbit pra reler. Tamanho foi meu encanto pela forma usada para nos introduzir aquele mundo todo. E quando eu já conhecia aquele mundo um pouco melhor pelos outros livros, meu encanto foi ainda maior com aquilo que seria apenas sua apresentação: este maravilhoso livro chamado O Hobbit.

    Apesar da escrita simples, O Hobbit não é um livro infantil assim. Muita coisa ali, a gente só pega depois de ter atingido certo nível de maturidade. É difícil imaginar que a Terra-média realmente não exista de verdade escondida aí em algum lugar e que os livros sejam apenas relatos e reflexões sobre ela…

    Ah, eu também concordo com você sobre o lance de ler o mesmo livro em diferentes fases da vida. É sempre interessante e saudável observarmos como nossa percepção muda em relação as mesmas coisas. Mas em relação a reler uma informação que já tenha sido absorvida antes, já não tenho esse problema. Tendo em vista o quanto eu sou desmemoriado e o que você leva dez anos pra esquecer, eu esqueço em apenas um… hauhahua

    Falando em O Hobbit, existe uma adaptação em quadrinhos meio antiga com desenhos que são uma delícia de se olhar… Já viu?

  • Gisele Santos (Vahallam) à toa em 14/09/2012 - 11:04

    É verdade, você tem toda razão eu concordo em cada palavra e além do que você disse: … a essência de todo o universo que ele criou está canalizado neste livro, porque todas as descrições de eras, famílias, reinos, gerações … é também responsável pela inspirações e criatividade para a criação de novos sistemas de RPG. Principalmente D&D por exemplo….Adorei….